O feminino assombrado: 10 autoras BRASILEIRAS e suas obras arrepiantes

Saudações, leitor noturno!

Semana passada nós passeamos por um pequeno panorama de escritoras internacionais e suas obras de terror/horror/fantástico. Com certeza você ficou se perguntando porque não tinha nenhuma brasileira na lista. Bem, eu guardei as brasileiras para esta lista!
Pois é, existe essa ideia errada de que o Brasil não produz literatura de terror/horror, o que não poderia estar mais longe da verdade! Uma das muitas consequências negativas desta crença é que os autores de terror brasileiros nem sempre recebem muita atenção do público leitor, nem são tão publicado por editoras ditas “grandes”, e para as mulheres que escrevem neste gênero o percurso é ainda mais difícil. Por isso nem sempre ouvimos falar delas apesar de serem MUITAS escrevendo histórias de fazer perder o sono.
Aliás, são tantas que é até complicado escolher só dez para esta lista, mas tentei selecionar um leque variado de estilos para todos os gostos. Muita gente boa, infelizmente, ficou para a próxima.

Júlia Lopes de Almeida

Além de escritora, cronista, teatróloga e abolicionista Júlia Lopes de Almeida foi uma das idealizadoras da Academia Brasileira de Letras, ainda que nunca tenha figurado entre os membros da instituição, que em sua fundação apenas aceitou homens. Filha de portugueses, nascida no Rio de Janeiro e criada em São Paulo, ela passou sua vida entre Brasil e Portugal e escreveu romances, contos, artigos para periódicos, peças de teatro e até poesia (às escondidas como confessou em uma entrevista a João do Rio). Sua prosa influenciada pelo naturalismo de Emile Zola e Guy de Maupassant vai dos horrores comuns como relacionamentos familiares problemáticos até temas sobrenaturais caros à literatura gótica, como o vampirismo.

O que ler:
“Ânsia Eterna”:
Coletânea de contos que oferece um panorama variados dos temas obscuros abordados pela autora.

Ilana Casoy

Ilana Casoy - AdoroCinema

A criminóloga Ilana Casoy começou a carreira de escritora com livros de não ficção, alguns dos quais já tem status de clássicos como “Serial Killer-Louco ou Cruel” e “Serial Killer- Made in Brazil”. Desde então ela escreveu sobre casos célebres da história criminal brasileira como o assassinato de Isabella Nardoni e o caso Susanne Von Richtoffen. Com uma carreira inteira dedicada à criminologia e ao estudo do perfil psicológico de serial killers, não é de se espantar que Casoy também faça sucesso como autora de ficção.

O que ler?
“Bom dia, Verônica”:
Primeiro livro de ficção de Ilana Casoy, escrito em parceria com Raphael Montes sob o pseudônimo “Andrea Kilmore”, “Bom dia, Verônica” é um thriller policial ao mesmo tempo clássico e surpreendente.

Soraya Abuchaim

Prazer, Soraya Abuchaim - Soraya Abuchaim Escritora

Conhecida como “Dark Queen” por seus fãs, Soraya Abuchaim é uma das autoras de terror mais populares do Brasil. Ela, que em seu site se define como “casada, mãe e apaixonada por livros”, começou a escrever em seu blog “Meu Meio Devaneio”, e desde o lançamento de seu primeiro livro “Até eu te possuir” tem sido figura carimbada em qualquer seleção de literatura de terror brasileira.

O que ler:
“A vila dos pecados”.
A influência de Stephen King fica clara nesta clássica história de uma cidadezinha e seus segredos macabros
“Ferrão de escorpião”: Quatro contos sobre o mesmo tema: a vingança.

Larissa Brasil

Larissa Brasil – Monomito Editorial

Larissa Brasil tira sua inspiração de lendas do folclore brasileiro, e foi com essa fórmula que seu conto “O Conto do Coronel fantasma” lhe garantiu o prêmio ARBEST de autora revelação em 2018. Sua carreira começou com o realismo fantástico típico das histórias assustadoras contadas no interior ao pé do fogo, mas a escritora já expandiu as possibilidades com a literatura de suspense e policial

O que ler:
“Onde o vento faz a curva”
Coletânea de histórias que se passam no mesmo universo de “O Conto do Coronel Fantasma”
“A garota da Casa da Colina” Primeiro livro de suspense da autora, com elementos psicológicos e (talvez?) sobrenaturais

Bianca Sousa

Amazon.com: Bianca Sousa: Books, Biography, Blog, Audiobooks, Kindle

Talvez seja mais adequado dizer que Bianca Sousa é uma autora de “Dark Fantasy” do que propriamente de terror. Segundo a própria bio de seu site oficial, ela “gosta de escrever histórias de amor e magia levemente sombrias.”, e realmente suas histórias são quase contos de fadas, com sereias e bailarinas mas também vampiras e assassinatos misteriosos.

O que Ler?
Réquiem:
Este conto é, possivelmente, o trabalho mais claramente de terror da autora. Uma história de solidão e perda, na qual a arte sepulcral dita o tom gótico.
O site da autora também tem vários contos e materiais para baixar gratuitamente. https://www.biancasousa.com.br/

Cláudia Lemes

Não queremos sentar na mesa rosa e só falar das dificuldades de ser  mulher": mercado, ABERST e literatura com Cláudia Lemes. | by Alan de Sá |  Explico melhor escrevendo | Medium

A tradutora, editora e escritora Cláudia Lemes é uma das fundadoras da ABERST (Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e terror). Além de diversos livros publicados em inglês e português, também já foi responsável pela edição, organização e tradução de diversos livros de terror e suspense, e já colaborou como escritora convidada em diversas coletâneas. Suas obras refletem experiências pessoais da autora, passada pelo prisma do suspense.

O que ler?
“A segunda morte de Suellen Rocha”
– Temas como violência doméstica e fanatismo religioso são abordados nesta história de 4 amigas e um segredo.
“Terror no Ártico”– Uma detetive brasileira investiga os crimes de um serial killer em uma pequena cidade do Alasca.

Jana P. Bianchi

Jana Bianchi - Jana Bianchi

“Escritora, tradutora, editora podcaster e passeadora de lobisomens”: é assim que Jana Bianchi se apresenta em seu site oficial. Ela já foi engenheira de produção, mas decidiu se dedicar à escrita e a tradução e aos podcasts “CurtaFicção” e “Livro ao vivo”, já pulicou diversos contos em revistas e coletâneas, mas seu primeiro romance, um olhar urbano e moderno sobre um mito milenar é o que garante seu lugar na lista.

O que ler?
“Lobo de rua”
A lenda do lobisomem ambientada em uma São Paulo tão urbana quanto sobrenatural.

Karen Álvares

Karen Alvares (@karen_alvares) | Twitter

“Escritor para mim é alguém para quem a realidade não é suficiente”: assim Karen Álvares se define. Natural de Santos, ela começou a escrever com fanfics de Harry Potter, e aos poucos foi indo da fantasia para águas mais obscuras. Hoje é um dos principais nomes do terror nacional. Aliás, ela tem um excelente domínio das mais variadas facetas do gênero.

O que ler?
“Horror em gotas”
Coletânea de contos nos quais a autora faz um exercício em escrita, abordando vários tipos de horror.
“Alameda dos pesadelos” Uma mulher atormentada por visões é a protagonista deste romance de terror psicológico.

Camila Fernandes

Camila Fernandes é um dos destaques como ilustradora no Brasil e também se  destaca no mundo das letras |

Além de autora, preparadora e revisora de textos e tradutora, Camila Fernandes também é ilustradora, sob o nome de Mila F. Sua obra é composta por contos publicado em diversas coletâneas, passando por variados estilos da ficção especulativa como fantasia, horror e ficção científica, Aliás, suas ilustrações de traço claro e elegante e fazem uma combinação perfeita com seus contos de fadas sombrios

O que ler:
“Reino das Névoas”
Conto de fada “para adultos” com ilustrações da autora.
“Contos Sombrios” 16 contos que abordam todo tipo de terror, desde assassinos até coisas sobrenaturais.

Ana Paula Maia

Revista RapaDura: Leia um trecho do novo livro de Ana Paula Maia! [especial]

Nascida e criada na periferia de Nova Iguaçu, filhade uma professora e um comerciante, as primeira influências de Ana Paula Maia foram a leitura de clássicos como Edgar Allan Poe e Dostoievsky, filmes de terror e também a violência diária testemunhada durante a infância. Seu trabalho oferece um olhar direto sobre temas como a masculinidade, o mundo do trabalho (sobretudo dos trabalhos mais menosprezados pela sociedade) e a violência.

O que ler?
“Assim na terra como embaixo dela”
Relata a existência atroz em uma colônia penal isolada, na qual os detentos são tratados como animais.
“Enterre seus mortos” Uma “mescla de novela policial, faroeste de horror e romance filosófico”, o romance segue os protagonistas Wilson e Edgar, cujo trabalho os coloca em contanto íntimo com a morte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: